...

no lugar dos braços

pinte um par de asas

(forte o bastante)

que te leve

ao alto mais alto.

e de lá, voe direto

pr’onde teu coração bate mais forte.

 

se não conseguir, tente de novo.

 

no lugar dos braços

pinte um par de asas

(frágil e belo)

que te leve

à flor mais solitária

do jardim primeiro.

 

se não conseguir, chorar, pra quê?

dê um abraço em quem você ama.

se a distância for maior que o alcance dos braços

feche os olhos. jogue um beijo ao vento.

depois, vire-se de lado e adormeça em Paz.

 

deixe-se embalar pelo sonho. no sonho a gente voa, mesmo sem asas, direto pr’onde o coração bate mais forte. no sonho, raios de sol dançam nas gotas de orvalho, que inclinam as pétalas da flor mais bela. no sonho a gente desenha o amanhecer de um dia sem medo. no sonho a gente replanta a Esperança e o Ânimo de Luta para tornar concreta a Utopia tão sonhada: que toda criança ou velho, mulher ou homem jamais tornem a ser presas da ignorância do “ter”.